PCMG lança alerta pelas redes sociais para localizar crianças desaparecidas

O Estado é um dos primeiros do país a aderir ao sistema.

PCMG lança alerta pelas redes sociais para localizar crianças desaparecidas

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) incorporou nesta quinta-feira (11 de janeiro) um sistema de disparos de alertas por meio das redes sociais para casos graves de desaparecimento de crianças e adolescentes. Por meio do programa "Alerta Amber", os usuários receberão postagens de alerta com fotos e informações dos menores. O Estado é um dos primeiros do país a aderir ao sistema. 

O projeto é resultado da parceria entre o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e o grupo Meta (detentora do Instagram e do Facebook). Além da PCMG, integram o projeto as polícias civis do Ceará e do Distrito Federal. 

A chefe da Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida (DRPD), delegada Ingrid Estevam, explica que o objetivo é agilizar a busca por menores desaparecidos. Ela detalha que se trata de um sistema social de alerta para evitar violência contra os menores.

Quando registramos ocorrências de desaparecimento de crianças e adolescentes em que há risco de lesão corporal ou morte, comunicamos ao MJSP que, em seguida, notificamos a Meta. Após análise da empresa, as redes sociais Instagram e Facebook emitem alertas aos usuários com a foto e informações sobre a pessoa desaparecida em um raio de abrangência de 160 quilômetros de distância do local da ocorrência”, explica.

A delegada ressalta ainda que os únicos requisitos utilizados para a divulgação de um caso pelo Alerta Amber são a faixa etária (crianças e adolescentes) e a gravidade do desaparecimento (risco de lesão corporal e/ou morte). “A divulgação pelo Amber Alert não é um serviço pago e não tem relação alguma com condição socioeconômica. É, sim, um projeto social, que vem somar esforços ao trabalho da PCMG na localização de crianças e adolescentes”, enfatiza.

COMPARTILHE NO:

+ VEJA TAMBÉM