O setor de eventos pede socorro

O segmento representa 3% do PIB do Brasil

O setor de eventos pede socorro

O Setor de eventos no Brasil também está colapsado. São milhares de desempregados que totalizam quase 80 fábricas da Ford.

Um estudo do Sebrae detectou que o setor de eventos teve um prejuízo de R$ 270 bilhões, de março a dezembro de 2020 devido à pandemia do coronavírus. De acordo com o estudo, 98% dos eventos foram cancelados e mais de 600 mil empresas e dois milhões de MEI dependem desse setor.

Também foi ressaltado que esse segmento representa 3% do PIB do país e que empresários apoiam projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados voltado para amparar esse segmento.

O PL 5638/2020 trata basicamente do parcelamento de dívidas e da abertura de linhas de créditos especiais para as empresas do setor de eventos. A proposta é que seja criado o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos, o Perse, a fim de que, com ele, seja firmado e seja regulamentado um compromisso entre devedores (mediante confissão de dívida) e credores, possibilitando que haja parcelas iguais (até 120) e, portanto, previsibilidade para ambas as partes.

O PL apresentado prevê taxas de juros de, no máximo, 3,5% ao ano, 120 parcelas mensais (prazo mínimo) reajustadas pela taxa Selic e carência de 24 meses.

COMPARTILHE NO:

+ VEJA TAMBÉM

Pix poderá ser usado em aplicativos de mensagens e compras online

Pix poderá ser usado em aplicativos de mensagens e compras online

Brasileiro é a terceira nacionalidade que mais sonha viajar em 2021

Brasileiro é a terceira nacionalidade que mais sonha viajar em 2021

O exercício físico multiplica 8x sobrevivência contra Covid-19

O exercício físico multiplica 8x sobrevivência contra Covid-19

Novo teste revoluciona diagnóstico da hanseníase

Novo teste revoluciona diagnóstico da hanseníase